fbpx

Quando um casal se separa…

Quando um casal se separa podemos contar uma história para eles. Um dia um casal me procurou e me veio à mente uma história para eles. E contei-a.


Um homem e uma mulher partem juntos para uma caminhada. Cada um carrega uma mochila repleta de boas coisas.

Juntos passam alegremente por jardins e campos e se alegram. De vez em quando param para descansar. Tiram algo de suas mochilas e o dividem.

Continuam caminhando e vão subindo.

Após um tempo um dos dois se cansa. O conteúdo de sua mochila se esgotou e ele se senta.

O outro continua andando por mais um trecho, subindo cada vez mais. Também a sua mochila se esvazia e ele se senta.

Olha para trás, vê o parceiro um pouco mais abaixo, o caminho que andaram juntos, lembra-se de todas as coisas belas pelas quais passaram e começa a chorar.


Isso é amor, chorar com amor. E é uma despedida com amor. Desse modo podemos olhar para o parceiro anterior com amor e também com tristeza.

Olhem para além dele, para o seu destino e também para o o seu próprio destino e digam “sim” a esse destino, ao próprio e ao do parceiro.

Olhem também para os filhos (se o tiverem, incluindo todos, mesmo os natimortos e abortos) e também para o que significa terem pais separados (que seguirão de qualquer forma, sempre juntos dentro de cada um e através deles). Percebam o quanto eles precisam crescer e crescem. Encarreguem-nos disso com amor.

Olhem em seguida internamente para o parceiro atual (se assim o tiver), assim como ele é. Olhem também para o que sucedeu em sua vida. 
Olhem para os parceiros anteriores e para os filhos deles (se houver). Olhem para todos e digam “sim” para tudo.

Vocês sabem que as expectativas possíveis agora são diferentes daquelas em relação ao primeiro relacionamento. São mais modestas.

No relacionamento novo cada um se sente ligado ao que veio antes. Vê também o outro ligado ao que veio antes e concorda com isso assim como é.

Digam ao outro: “Tomo você assim, com tudo que faz parte de você através de seu relacionamento anterior e daquilo que sucedeu nele.”

Trata-se, aqui, por um lado de um amor modesto; por outro, de um amor grande, pois inclui todos. É um amor espiritual.



Extraído do livro: “O Amor do Espírito“, de Bert Hellinger.

Deixe seu Comentários:

WhatsApp chat