fbpx

Foi uma explosão de sentimentos – sobre a tragédia de Goiânia.

By 23 de outubro de 2017Emoções, Pais e Filhos, Tatiane Medeiros
Hoje quero falar com você pai e mãe de adolescente, e chamar sua atenção para o que aconteceu em Goiânia, mas chamar a atenção como uma forma de aprendizado. O que será que todo esse acontecimento pode nos ensinar? Afinal, acredito que qualquer adolescente pode ser protagonista de uma historia parecida, tanto como o garoto que atirou, quanto os que receberam os tiros… Gostaria de ressaltar que não chamo nem um, e nem outro de vitima e ou agressor, até porque não sabemos onde tudo começou.
E minha primeira aprendizagem com tudo isso é dar conta de não julgar nenhuma das pessoas envolvidas nessa historia, pois aprendi que se eu estivesse na vida de qualquer um dessas pessoas, eu faria a mesma coisa. Sim, se eu tivesse vivido cada momento da vida de deles, se tivesse a historia de vida, a família, os pais, e tudo mais, eu faria do mesmo jeito. Cada ser humano age com a melhor das intenções diante do recurso que cada um tem no momento. Então aprendo a não julgar nenhuma dessas pessoas, apenas aceitar o destino de cada uma.
Mas a grande reflexão que quero deixar com esse texto é sobre a explosão de sentimentos e emoção que podemos ter a qualquer momento. Sim, na minha opinião, do pouco que vi e li sobre a historia, o que aconteceu foi uma explosão de sentimentos e emoções guardadas.
Há muito tempo atrás atendi um garoto de 12 anos, muito tímido, calado, bom aluno, ótimo filho, sempre muito quieto. Vou chamá-lo: de João. Num belo dia, João estava soltando pipa com os colegas, e um colega “torou” a pipa dele, enraivecido e muito bravo com o acontecido, João bateu tanto nesse colega que “torou” sua pipa, ate que o mesmo tivesse traumatismo craniano. Ninguém conseguia entender o acontecido, afinal João era tão “bonzinho”, e ninguém esperava isso dele.
E em conversas com o João, que veio encaminhado para cuidar da sua agressividade, percebi que durante muitos anos esse garoto guardava muitos sentimentos e emoções, não falava de suas tristezas, de suas raivas, alegrias, medos… ele era calado demais… e tudo isso, num certo momento “explodiu”, e explodiu com aquele acontecimento de um colega que “torou” sua pipa. Me lembrei daquele ditado: “a gota d’água”. Isso mesmo, foi a gota d’água para o copo entornar.
Aqui entra a importância de cuidar dos nossos sentimentos e emoções. Tudo que acontece em nossas vidas gera alguma emoção, seja positiva ou dita negativa, e emoções têm energia, e estão vivas dentro de cada um de nós, e quando não são vividas e expressadas, ficam pressas, guardadas em algum lugar dentro de nós. E esse processo funciona como uma panela de pressão, quando algo fica guardado, vai fervendo e pegando cada vez mais pressão, ate que uma hora, explode. Ou como uma lata de lixo, quando vamos colocando lixo numa lata, e a mantemos fechada, vai criando mal cheiro, aquele liquido fedorento, e de repente explode também.
E então, fico pensando nessa criança que atirou nos colegas, quantas emoções não foram ditas, para que chegasse a esse ponto. Não falo de bullying, falo de tudo, e fico pensando no que ele estava guardando. E a forma que ele conseguiu colocar pra fora foi assim. Atendo diariamente muitos adolescentes, cada um explode de uma forma, uns com doenças físicas, outros com doenças emocionais, outros com agressividade, outros com revolta, cada um de um jeito.
E assim, proponho uma reflexão a você pai e mãe, como você está em relação a suas emoções? Você se conhece? Sabe como fica quando está com raiva? Sabe como reage quando está triste? Sabe diferenciar cansaço de tristeza? Sabe expressar amor? Alegria? Pergunto como está você com suas emoções, porque muito do que os filhos vivem foi aprendido com os pais.
E depois de uma reflexão sobre você, ai sim é possível olhar para seu filho e pensar como ele está vivendo as emoções do dia a dia, será que ele também não está enchendo uma panela de pressão?
E pra fechar apresento 6 dicas para você cuidar bem de você e dos seus filhos adolescentes:
1 – Procure se conhecer, saber sobre quem é você, de onde veio, que qualidades tem, o que precisa melhorar, isso fortalece a auto estima, a segurança e melhora os seus relacionamentos.
2 – Conheça seu filho, converse sobre sonhos, desejos, sentimentos e tudo mais.
3 – Converse sobre seus sentimentos, fale que sentiu tristeza por isso, raiva por isso, amor por isso… e etc.. comece a falar dos seus sentimentos e emoções.
4 – Compartilhe como foi seu dia com seus filhos, e assim abra espaço para eles também falarem do que aconteceu no dia deles.
5 – Conte para seus filhos como foi sua adolescência, das coisas boas, e das ruins e como você superou isso.
6 – Cuide da saúde emocional da sua família, assim como cuida da saúde física, da saúde bucal, os sentimentos fazem parte da nossa vida.
E se precisar de ajuda profissional, estou aqui.
Tatiane Medeiros Cunha.

3 Comentário

  • Clarice disse:

    Maravilhoso seu texto, é assim que vi o acontecido, pensando o que levou esse estudante a explodir, a dor dos pais que perderam seus filhos e dos pais do garoto que vai para essas instituições que sabemos, não melhora ninguém.
    Gostei de suas dicas e vou repassar pra meus familiares. Gratidão

  • Eduardo disse:

    Adorei o texto! Sou psicólogo também e tenho essa mesma percepção. Nosso primeiro impulso é julgar, mas como você menciona Tatiana é preciso antes de tudo compreender. E essa reflexão (da parte dos pais, filhos, professores e sociedade) é urgente! Pois os jovens estão cada vez mais “distantes” e frágeis.

  • Audrey Schimming disse:

    Sofri bullying é novamente pelo sofrimento do meu filho ao passar por ele. É uma dor na alma,. E dizem que é porque não somos fortes, não sabemos lidar com as frustrações. A sociedade é permissiva com a violência. Premia os algozes.

Deixe seu Comentários:

WhatsApp chat