fbpx

Caricias, Carências e as Redes Sociais

Ontem vi uma reportagem da qual uma pessoa criou um perfil falso nas redes sociais, e através desse perfil, se relacionava virtualmente com diversas pessoas, e por meio desses relacionamentos, essa pessoa conseguia extorquir até mesmo dinheiro dos envolvidos. O que foi considerado crime virtual. A situação me chamou bastante a atenção para algo ligado as relações e a nossa sobrevivência: o quanto estamos carentes, e onde estamos buscando por caricias.
Na verdade minha maior observação foi: o quanto estamos carentes! Digo estamos, em terceira pessoa porque acredito que essa situação é bem geral. Realmente acredito que estamos carentes de caricias! E estamos cada vez mais buscando muitos reconhecimento nas redes sociais.
Quem nunca teve um “crush”, ou se não foi uma paixãozinha, foi um amigo, daqueles que ficam horas e horas conversando, no whats, no facebook e etc?! Sim acredito que cada vez mais isso está “normal”. E tudo certo ter amigos, rolos, conversas nas redes sociais e no mundo virtual, mas precisamos ter cuidado com o que e onde estamos buscando saciar nossas carências.
O que está acontecendo atualmente, na minha opinião, é que estamos tão carentes, que estamos buscando de uma forma desenfreada caricias e mais caricias nos relacionamentos virtuais.
Quero contar um pouco sobre “Caricias”.
De acordo com Eric Berne e a teoria da Análise Transacional, Caricia é uma unidade de ação social que envolve reconhecimento. Entende-se por “caricias” todas as manifestações de carinho físico e também palavras e gestos sem toque físico. Caricia é qualquer forma de RECONHECIMENTO do outro, ou seja, tudo que faz o outro entender e sentir que está vivo.
A necessidade de caricias é instintiva, se não houver caricias suficientes que satisfaça a necessidade instintiva da pessoa, pode ocorrer o mesmo que ocorreria no caso de não haver comida para atender ao instinto fome: ou seja, a morte. E assim percebe-se a grande importância de caricias em nossas vidas. Dada essa importância, organizamos nosso tempo e toda a nossa vida, para obter caricias, seja elas positivas ou negativas.
As caricias positivas são aquelas que nos fazem sentir bem, trazem alegria, bem estar, paz interior, se sentir amado, querido, e etc., pode ser um simples ‘oi’, ‘bom dia’, ou ‘eu te amo’, um beijo, um abraço, ou qualquer manifestação que nos faça bem. A caricia negativa é algo que traz um desconforto, um tapa, um xingamento, ou qualquer outro acontecimento que nos faça sentir mal.
E acredite, quando não temos caricias positivas suficientes, buscamos caricias negativas. Tem uma frase do Roberto Shinyashiki que diz: “um beijo é melhor do que um tapa, mas um tapa é melhor do que nada”.
Caricias são fonte de energia para a vida! Tudo o que fazemos gastamos energia, quando vamos trabalhar, estudar, brincar, ou seja, viver gasta energia, e a fonte de energia para a vida são as caricias que recebemos. Cada um de nós temos uma espécie de bateria de caricias, igual bateria de carro, com cargas positivas e negativas. Se sua bateria estiver descarregada, você não tem energia para viver, se sua bateria estive carregada com mais carga negativa do que positiva, provavelmente, você vive triste, mal humorado, sem alegria, sem animo. Sendo assim precisamos de carga positiva diariamente.
E diante da nossa necessidade de obter caricias, e da nossa tamanha carência de relacionamentos, estamos buscando isso nas redes sociais. A verdade é: “ESTAMOS CARENTES DE RELACIONAMENTOS”. Estamos precisando de reconhecimento.
Quando vejo acontecimentos como o que citei da reportagem no inicio do texto, eu penso o quanto essas pessoas estavam carentes, o quanto estavam vazias de caricias, para deixar se envolver por situações assim.
E diante dessa carência de caricias trago uma reflexão para melhorar nossos relacionamentos, e também possibilitar um maior conhecimento do nosso funcionamento:
1 – Quais os diferentes tipos de carícias que você conhece (lembre-se de que existem carícias físicas, gestuais, verbais e de linguagem escrita, dentre outras).
2 – Quais as suas caricias preferidas?
3 – Quais as pessoas que você mais troca caricias no seu dia a dia?
4 – Onde estão suas fontes de caricias?
Caso perceba a necessidade de ampliar suas fontes de Carícias escreva um plano para dar e receber mais carícias positivas.
1 – Carícias que planejo dar: A quem? Como farei ?
2 – Carícias que planejo receber: De quem? Como farei ?
3 – Quais lugares que posso frequentar e ter mais contato social?

Para finalizar, deixo um dica de livro sobre o assunto: A caricia essencial – Roberto Shinyashiki.

Tatiane Medeiros

Deixe seu Comentários:

WhatsApp chat